como ajudar

Número de busca por “como ajudar” bate recorde no Google

O mundo está mais humano! Definitivamente esse é um fenômeno que já está acontecendo com a pandemia do coronavírus. As pessoas perceberam que precisam se ajudar.

Basta dizer que nunca antes os brasileiros procuraram tanto como ajudar outras pessoas. Um levantamento do Google mostra que as buscas pela expressão “como ajudar” são as maiores desde 2004.

Sabe aquele ditado: “Há males que vêm para o bem?” Precisamos ver o lado bom de tudo isso e o aspecto positivo é que as pessoas estão, sim, mais solidárias.

As cinco principais pesquisas com a expressão estão ligadas ao coronavírus e uma preocupação em particular que aparece é com as pessoas em situação de rua.

“A busca é um termômetro muito poderoso do que acontece na vida das pessoas”, avaliou o porta-voz do Google Brasil, Rafael Corrêa, em entrevista à CNN.

E sabe como mais os brasileiros querem ajudar nesse período? Doando cestas básicas

Pelo menos é isso o que mostram os dados. A busca por “cesta básica” atingiu o nível recorde em abril.

E não é só isso… tem uma porrada de gente que está fazendo um monte de ações voluntárias como costurar máscaras, produzir Equipamentos de Proteção Individual, fazer compras para os vizinhos do grupo de risco, dar aulas gratuitas, e por aí vai!

Se você também quer ajudar contribuindo para levar comida à mesa de pessoas carentes, a gente te dá uma forcinha para ser solidário. Criamos uma vaquinha online na VOAA para ajudar moradores de favelas de São Paulo. Clique aqui e contribua!

Gente! Isso traz uma sensação boa de cumplicidade, de empatia, de solidariedade, cria uma atmosfera bonita. Parece que estamos mais juntos, mais unidos, mesmo estando mais separados pelo distanciamento social.

E tem também as pessoas que estão ajudando os profissionais de saúde que estão na linha de frente do tratamento de pacientes com coronavírus. É como o caso do técnico de enfermagem Joseildo que estava dormindo no terraço de casa para não colocar em risco a mãe idosa, aí os internautas se mobilizaram para ajudá-lo a conseguir uma hospedagem – e doaram R$ 34 mil, mais de 270% da meta inicial da vaquinha!

E o técnico vai continuar a corrente do bem. Além de reformar sua casa, vai comprar cestas básicas para as pessoas do bairro onde mora, além de asilos nos quais já trabalhou.

Brasileiros buscam ajudar em estados mais vulneráveis

Aquela história de que a gente só acredita em algo quando acontece conosco, de sentir na pele, de ver para crer pode ser real. Sentir o sofrimento do outro de perto nos ajuda a ter mais empatia com o próximo.

Os números do Google Trends, levando em consideração só os últimos doze meses do levantamento, ajudam a deduzir isso, já que os estados onde mais os internautas estão pesquisando como ajudar são justamente os mais atingidos ou vulneráveis.

Os estados onde as pesquisas se sobressaem são o Amapá, o Maranhão, Roraima, Amazonas e Rondônia. Isso acontece porque esses estados têm os sistemas de atendimento em saúde mais frágeis do país, tanto é que alguns têm apresentado muitos casos da covid-19.

Mais o que há de bom nesses dados? É que as ajudas podem estar chegando onde mais são necessárias.

Em compensação, cresceram também as buscas por termos como ansiedade e depressão, talvez por causa do isolamento. E isso mostra pra gente que precisamos estar mais atentos aos sinais que os outros nos dão de alerta para ajudar sempre que necessário.

Olha só um bom exemplo disso: um psicólogo está oferecendo atendimento gratuito no meio da rua a pessoas com crise de ansiedade nesse período de quarentena.

Dados mostram que solidariedade cresce todos os anos no Brasil

Ainda levando em consideração o levantamento do Google Trends, se compararmos as buscas por “como ajudar” desse início de 2020 com o mesmo período de 2004, é um aumento de quase 100%. Há um crescimento gradativo ano após ano.

No comparativo com o mesmo período do ano passado, o crescimento é de 25%. E aí a gente lembra que o começo do ano passado foi marcado por tragédias, como a de Brumadinho em Minas Gerais.

O estado de Minas Gerais, inclusive, nesses quinze anos do levantamento, é o lugar onde mais as pessoas buscam se informar sobre como ajudar as outras. Além do caso de Brumadinho, houve também o acidente de Mariana em 2015.

Ou seja, isso comprova aquela máxima de que o brasileiro é solidário, mas não só ele, o mundo todo está mudando, e isso nos enche de Razões para Acreditar.

Fonte: Razões para acreditar

Veja mais notícias sobre o Coronavírus.

ap acreditaPowered by Rock Convert
COMPARTILHAR